Para a correta recomendação da dose de calcário a ser aplicada é imprescindível a análise do solo.

Com o resultado da análise o agricultor deve procurar seu Engenheiro Agrônomo de confiança ou o corpo técnico-comercial da Embracal. Tendo a análise do solo em mãos, o técnico verificará a cultura que está ou irá se desenvolver sobre ele, pois as plantas apresentam uma maior ou menor tolerância a acidez, e verificará, nos casos onde o calcário será incorporado, a profundidade de incorporação pretendida. Através destas informações e utilizando métodos científicos de recomendação o técnico irá determinar a necessidade de calagem adequada do solo.

O método de recomendação mais utilizado no Estado de São Paulo está representado pela equação abaixo, extraída do Boletim Técnico 100 do Instituto Agronômico de Campinas -IAC, 2a. edição, p. 16:

NC = CTC (V2 – V1) x f / 10 PRNT

Onde:

NC: necessidade de calagem em toneladas por hectare;

CTC: capacidade de troca de cátions do solo, expressa em mmolc/dm3 (fornecido pela análise de solo);

V1: saturação de bases atual do solo em % (fornecida pela análise de solo);

V2: saturação de bases a ser atingida no solo em % (variável dependente da cultura);

PRNT: poder relativo de neutralização total (variável dependente do corretivo empregado);

f: fator de correção da profundidade de incorporação – para calagens sem incorporação ou com incorporação no solo até 20 cm de profundidade, considerar f=1. Para incorporações a 30 cm de profundidade considerar f=1,5 e para 40 cm de profundidade, utilizar f=2.

Pelo fato de todos os calcários serem produtos de baixa solubilidade, o recomendado é a aplicação do calcário com pelo menos 60 dias de antecedência ao plantio ou a adubação, mas mesmo não sendo possível esta antecedência, a aplicação é recomendada a qualquer tempo, pois seus efeitos positivos se farão sentir no decorrer do desenvolvimento da cultura.

No momento da aplicação do calcário, deve-se ficar atento à interferência das condições climáticas, sobretudo os ventos, condição que acentua a deriva principalmente nos calcários mais finos.

Portanto, a calagem tem início na criteriosa coleta de amostras de solo, segue no encaminhamento das mesmas a laboratório idôneo, passa pela recomendação da necessidade de calagem por profissional competente, pela compra de produto de qualidade, e finaliza com a aplicação no solo da dose indicada e com a regulagem correta do equipamento de aplicação. A negligência de qualquer uma destas etapas comprometerá os benefícios que o calcário pode proporcionar ao solo, às plantas, à produtividade das culturas, e consequentemente ao bolso do agricultor.

Related Posts

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments