CALCÁRIO AGRÍCOLA

Calcário Agrícola Embracal é um insumo largamente utilizado na agricultura, produzido a partir da simples moagem de rochas dolomíticas sedimentares. É composto de Carbonato de Cálcio (CaCO3) e Carbonato de Magnésio (MgCO3), sendo comercializado na forma de pó.

O Calcário Agrícola Embracal tem como principais funções corrigir a acidez do solo e fornecer cálcio e magnésio para as plantas. Sua utilização é fundamental para construção da fertilidade do solo, contribuindo para aumentar o aproveitamento dos outros nutrientes (tanto os que já estejam no solo, quanto os que serão fornecidos pelos adubos) e diminuindo o efeito tóxico do alumínio, melhorar a atividade biológica do solo, aumentar o enraizamento, prevenir a erosão, e consequentemente aumentar a produção e o resultado econômico das culturas.

Sim, o calcário contribuí para o aproveitamento dos nutrientes fornecidos pelos adubos, tanto químicos quanto orgânicos, na medida em que corrige o pH do solo e deixa esses nutrientes em uma forma química disponível pelas plantas. O calcário contribuí ainda para a absorção dos nutrientes, pois fornecendo cálcio e neutralizando o alumínio tóxico, aumenta o volume de raízes, aumentando assim a quantidades de “bocas” das plantas.

Não se deve realizar a adubação em solo ácido. Em condições de acidez do solo, os nutrientes fornecidos pelo fertilizante ficarão em uma forma indisponível para as plantas, podendo haver perdas superiores a 60% do adubo adicionado. Igualmente, em condições de acidez do solo, as plantas terão o crescimento de suas raízes prejudicadas, dificultando a absorção dos poucos nutrientes que estarão disponíveis.

O agricultor pode entrar em contato diretamente com a Embracal, que orientará sobre a melhor forma de atendimento, que pode ser através de nossa rede de agentes, ou de nossos supervisores especialistas.

A única forma de definir a quantidade correta de calcário a ser aplicada é através da análise de solo. O agricultor deve fazer a amostragem da terra (/produtos/informações técnicas/”Qual a importância da amostragem de solo?”), enviar para um laboratório de confiança, e assim que estiver pronta a análise, solicitar para que um profissional habilitado faça a recomendação. Neste site em /produtos/informações técnicas/”Cálculo da necessidade de calagem” apresentamos a fórmula mais comum para recomendação.

Não. O calcário corrige a acidez do solo por um determinado período de tempo. A reacidificação do solo é contínua e ocorre por fatores naturais (chuvas, absorção de nutrientes pelas plantas) ou fatores de manejo (principalmente a adubação nitrogenada). Desta forma, a correção da acidez do solo é temporária e deve ser monitorada anualmente através da análise de solo e verificada a presença da acidez, deverá ser corrigida pela prática da calagem.

GESSO AGRÍCOLA

Gesso agrícola é um condicionador de solo, utilizado em larga escala na agricultura, que tem se mostrado bastante eficiente para construção da fertilidade do solo, sobretudo em profundidades abaixo dos 20 cm, em conjunto com o calcário.

Sua composição química é o Sulfato de Cálcio (CaSO4), que tem origem na reação do ácido sulfúrico com a rocha fosfatada moída para produção de STF (superfosfato triplo), MAP (fosfato monoamônico) e DAP (fosfato diamônico), que são adubos fosfatados.

Gesso agrícola é uma fonte muito eficiente de Cálcio e Enxofre. Sua alta solubilidade e mobilidade no solo faz com que atinja as camadas de subsuperfície, melhorando sua fertilidade, corrigindo problemas de toxidade de alumínio e de sódio, e levando o Cálcio em profundidade. A presença do Cálcio e a correção do Alumínio são os promotores do enraizamento profundo, que confere maior resistência da planta aos veranicos e faz com que a planta explore um maior volume de solo em busca de nutrientes, havendo, inclusive, ciclagem em profundidade de nutrientes lixiviados da superfície.

O gesso agrícola é comercializado em pó e deve ser incorporado ao solo ou aplicado em cobertura. Sua recomendação deve ser feita mediante análise do solo coletada na profundidade 20 a 40 cm ou 25 a 50 cm, com análise do alumínio em separado, e recomendação de técnico habilitado.

Não. O gesso não é corretivo da acidez do solo. O gesso é um condicionador que neutraliza alumínio tóxico, sobretudo em profundidade no solo, fazendo um trabalho complementar ao que o calcário faz na camada mais superficial do solo em relação a esse elemento. Além disso, é uma importante fonte dos nutrientes cálcio e enxofre.

LAJÃO

Lajão é um material rochoso, originário das camadas superiores as camadas de calcários, que ocorre em jazidas de calcários sedimentares. Ele pode ser comercializado na forma bruta (Dolomita fragmentada bruta ou lajão bruto) ou na forma britada (Dolomita fragmentada britada ou Lajão britado), e é um excelente material para ajudar no enfrentamento de processos de erosão, enchimento de voçorocas, base de estradas rurais não asfaltadas, cabeceiras de pontes, pavimentação de estradas rurais, entradas de sítios e fazendas e pátios de indústria ou estacionamentos.

O formato angular das pedras e o gradiente granulométrico conferem ao lajão uma característica agregadora muito importante, que faz com que o material permaneça no local aplicado, formando uma camada bem homogênea evitando a formação de canaletas.

Seu custo mais baixo confere uma excelente relação custo x benefício, que permite o uso em extensas superfícies. O lajão não é indicado para base de estradas asfaltadas e construção civil.

O lajão é utilizado por mais de 30 prefeituras no estado e São Paulo, também é utilizado por usinas sucroalcooleiras, transportadoras, industrias e propriedades rurais de qualquer porte.

O lajão é um material barato, sendo o frete o maior componente de seu custo. A Embracal tem unidades em Saltinho, Limeira e Pereiras e indicará o fornecedor mais perto de sua propriedade.

O lajão é comercializado em toneladas e sua densidade está em torno de 1,5 e 1,8 t/m3. Por ser um material de fácil reparo e complementação, costumamos indicar em estradas rurais a aplicação de uma camada de apenas 10 cm de lajão britado. O cálculo pode ser feito da seguinte maneira:

– Comprimento da estrada = 50 m

– Largura da estrada = 5m

– Altura camada lajão indicada = 10 cm = 0,10 m

– Quantidade de lajão indicada = 45 toneladas (50 m x 5 m x 0,10 m x 1,8 t/m3)

O lajão é composto por dois tipos de rocha, uma rocha dolomítica bastante firme e duradoura, e outra que degrada muito fácil transformando-se em um farelo. Este farelo é importante para assentar a rocha dolomítica. A durabilidade da aplicação de lajão depende principalmente da base onde será aplicado e do regime de chuvas, mas pode chegar a dois anos. Caso os solos sejam muito barrentos, aconselha-se a colocar primeiro o lajão bruto, que tem pedras maiores e é mais barato, para depois fazer o acabamento com o lajão britado, que tem pedras menores.

NÃO ENCONTROU O QUÊ PROCURA?

Nos envie sua dúvida que o atenderemos assim que possível.